Infelizmente, a recente pandemia ofuscou o lançamento de vários filmes no cinema, muitos dos quais acabaram sendo disponibilizados diretamente em plataformas digitais, passando despercebidos do público em geral.

Diversos filmes ótimos não conseguiram escapar dessa fatalidade, sendo que, também, muitos filmes foram lançados diretamente por meio de VOD (Vídeo sob Demanda – Video on Demand) e estão acessíveis de forma online para aluguel. “Procura-se” é um desses filmes que chegou nas plataformas digitais de forma silenciosa, sem fazer muito alarde; o que é uma pena, pois o filme é um excelente suspense que vale a pena ser assistido, pois prende a atenção do começo ao fim e choca com uma surpreendente revelação inesperada.

No Brasil, o filme em tela foi lançado no dia 29 de abril pela distribuidora A2 Filmes, está disponível no canal Telecine e também para aluguel em outras plataformas digitais, tais como Apple TV, NOW, Vivo Play YouTube.

Procura-se” é um caso curioso. No Brasil, o longa tem 2 nomes diferentes: no canal Telecine, o filme recebeu o título “Procura-se”; ao passo que em outras mídias digitais, que foram disponibilizadas pela A2 Filmes, o filme é encontrado com o título “Sem Rastros”. Tentei pesquisar o motivo para o longa ter recebido nomes diferentes e não encontrei nenhuma explicação. Então, para não ocorrer confusão, usarei somente o título “Procura-se”.

Na trama, Wendy (Anne Heche, de “Volcano”, 1997) e Paul (Thomas Jane, de “O Justiceiro”, 2004) viajam em um trailer com o objetivo de acampar no feriado de Ação de Graças com sua filha, Taylor, de 10 anos, em uma reserva natural à beira de um lago cercado por uma floresta fechada, que é usado como parque de trailers. Quando Taylor desaparece de repente sem deixar vestígios, logo no primeiro dia de férias, o casal sai em busca da menina pedindo ajuda a todos. O xerife local, Baker (Jason Patric, de “Os Garotos Perdidos”, 1987) assume o caso e se compromete a procurar Taylor, promovendo buscas na região com sua equipe policial.

Depois de alguns dias, a polícia não tem nenhuma pista e o casal não descansa por nada para encontrar a filha. Ao perceberem que não houve avanço nas buscas policiais, o casal assume a investigação, suspeitando de tudo e de todos. Enquanto buscam evidências, Paul e Wendy estão dispostos a ir até as últimas consequências para resgatar a filha, não importando o quão radicais possam chegar. À medida que o casal se aprofunda na busca, o mistério sobre o desaparecimento da filha aumenta cada vez mais e novas revelações são descobertas.

Assumindo contornos de um suspense policial, “Procura-se” é um filme tenso que mostra a angústia na vida de 2 pais, dia após dia, tomado pelo desespero cuja filha sumiu sem deixar rastros. Para piorar ainda mais o pesadelo do casal, ainda há o perigo de um criminoso que está fugindo e se encontra na região, floresta adentro.

Procura-se”, escrito e dirigido por Peter Facinelli (ator que interpretou o vampiro Carlisle Cullen na saga Crepúsculo – e que também fez uma ponta no filme em questão, como um policial assistente do xerife), tem um considerável diferencial porque, apesar de ter uma sinopse comparativamente parecida com muitos outros longas do mesmo gênero, consegue manter a tensão ao longo de todo o filme, sem dar pistas sobre o paradeiro da menina e sem revelar absolutamente nada que ajude (nem os protagonistas do filme e nem o telespectador) a entender sobre o desaparecimento da filha.

Ou seja, não há progressão alguma nas investigações e nós só conseguimos descobrir o que realmente aconteceu bem no final. E isso é uma vantagem porque, conforme o filme avança dia após dia, nós ficamos tão tensos e acabamos criando todo tipo de suspeita tanto quanto o próprio casal, até que a revelação final é exposta. Em outras palavras, nós acabamos compartilhando dos mesmos sentimentos de tensão e angústia que o casal do filme sofre, além de ficarmos quebrando a cabeça para o que pode ter acontecido com Taylor.

Como diretor de “Procura-se” (além de também ter feito uma pequena participação), Peter Facinelli se destacou por entregar um ótimo suspense policial, com uma narrativa simples de ser compreendida, porém é um pouco complicado de ser digerido. Facinelli soube conduzir uma trama bem amarrada para prender a atenção do telespectador do começo ao fim, de tal forma que o plot twist revelado no final é bem surpreendente e convincente com a proposta que o filme deseja mostrar. Destaque, também, para o quase irreconhecível e ótimo ator Jason Patric; demorei um bocado para reconhecê-lo.

Procura-se” é um longa que atende às expectativas e, é claro, consegue surpreender o telespectador de forma intrigante; haja vista que, mesmo após o término do filme, precisamos de alguns momentos para fazer uma retrospectiva geral de todos os fatos e eventos ocorridos durante o filme para, enfim, conseguirmos compreender e aceitar a verdade sobre a revelação intrigante e surpreendente que o plot twist nos entregou – e bem desenvolvido, devo dizer.

Nota: 9.0

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem